134-capa.jpeg
26/ago/2021

“Boemia… aqui me tens de regresso…”. Antes de tudo,  uma voz poderosa de um paciente ecoa pela enfermaria do hospital em Manaus. Francisco Alexandre canta e anima doentes e equipe médica, após passar três dias na UTI e vencer a covid-19. Em outro canto da cidade, Janary Rodrigues finaliza as dez sessões de fisioterapia para tratar as sequelas da doença. Nesse meio tempo, tenta aplacar a saudade da sogra e do cunhado, levados pela pandemia.

Certamente, sentir na pele os efeitos devastadores do vírus deu aos dois empresários a certeza de que ambos escolheram a carreira certa. Eles são sócios-diretores da corretora de seguros Provisa Gestão de Saúde, especializada em planos de saúde empresariais. Ao lutar por atendimento médico para os milhares de colaboradores das empresas clientes, assim, eles ajudaram a preservar a saúde dentro das fábricas do Polo Industrial de Manaus.

Do alto da Provisa Tower, Alexandre e Janary receberam a PIM AMAZÔNIA para uma conversa sobre como a atuação de gestores preocupados com a saúde e bem-estar dos colaboradores tem sido essencial na pior crise sanitária da história do Amazonas e do Brasil.

Como é que uma corretora de seguros pode fazer a diferença no combate a uma pandemia?

Francisco Alexandre: Nós gostamos muito de pessoas. De cuidar.

Eu fiquei na UTI três dias, então sei muito bem o que essa doença causa. São sintomas inexplicáveis. E isso nos sensibilizou mais ainda. Conseguimos fazer uma compra grande de cilindros de oxigênio em São Paulo, daqueles de 5 litros. Contudo, no momento agudo a gente foi emprestando, ajudando. E a primeira leva foi embora logo na primeira semana. Emprestamos, enchemos novamente, para o pessoal que estava se tratando em casa. Todos nós tivemos muita coragem ao vencer o medo da doença para poder ajudar o maior número possível de pessoas.

Janary Rodrigues: Vimos muita gente morrendo, muita gente com problema.

Todos ficaram muito abalados. Perdemos pessoas próximas. Vimos pessoas sem oxigênio, nos hospitais, famílias desesperadas. Não paramos hora nenhuma, mesmo nos momentos mais críticos. Apesar de muitos de nós acabávamos expostos ao vírus, e graças a Deus todos vencemos. Conseguimos ajudar muita gente, e isso hoje nos dá tranquilidade.

Vocês sempre trabalharam ações de saúde preventiva nas empresas, com atenção especial para diabéticos e hipertensos. Não fosse esse trabalho antes da pandemia, o “estrago” seria maior?

Janary Rodrigues: Com certeza. Há doze anos trabalhamos com prevenção, com o controle de doenças pré-existentes, porque elas custam muito caro para o usuário e para o plano de saúde. Sempre incentivamos a prática de atividade física, saúde mental, boa alimentação, e isso sempre nos trouxe bons frutos. Mas a pandemia veio para destacar essas lições. Você precisa cuidar do seu corpo, da sua mente, e isso vale não só para o coronavírus, vale para diabetes, doenças cardíacas.

Francisco Alexandre: No início da pandemia, quando ainda tinha pouquíssima informação, nós disponibilizamos um chat robô para ajudar no diagnóstico da covid-19, a partir dos primeiros sintomas. Tivemos mais de 10 mil acessos. Quem se preveniu, quem se cuidou, passou mais fácil por tudo isso.

Qual a lição para os gestores, cuidar da prevenção nunca foi tão importante?

Francisco Alexandre: Certamente a receita mais certa dessa doença é a prevenção. Porque ela é imprevisível. É como ser atingido por uma bala perdida, ninguém sabe o tratamento correto. Nesse meio tempo, o empresário mais cuidadoso trabalhou forte a prevenção e certamente passou mais tranquilo pela tormenta. Quem fugiu da prevenção ficou mais exposto, e infelizmente registrou mais óbitos.

Janary Rodrigues: Todo mundo sabe o caos que foi durante a primeira e a segunda onda. Manaus tem aproximadamente 540 mil pessoas com planos de saúde. Imagina se não tivesse. Imagina todas essas pessoas somadas à fila do SUS, como seria.

A procura por serviços médicos aumentou consideravelmente nos últimos meses. Qual o impacto disso no reajuste dos planos de saúde?

Janary Rodrigues: O impacto não tenha dúvida que está acontecendo. Os gráficos já apontam essa subida. O período de internação das pessoas aumentou muito. Uma pessoa fica intubada por pelo menos 14 dias. A diária de UTI é caríssima, porque inclui medicamentos restritos, equipamentos especiais, médicos, enfermeiros e fisioterapeutas 24 horas.

Francisco Alexandre: Por outro lado, da mesma maneira que aumentam os atendimentos para covid, as cirurgias e consultas eletivas diminuíram. Então a gente também não deve maximizar essa preocupação. O momento agora é do empresário se preocupar com a prevenção e levar informação. E nós também estamos de olho, acompanhando todas as utilizações, através do nosso sistema, para que se tenha um reajuste justo.

Nesse contexto de luta contra o vírus, podemos dizer que todo gestor de empresa, de certa forma, virou um “micro secretário de saúde”, que precisa defender “a sua população” e estar de olho nas estatísticas?

Francisco Alexandre: Claro. É em cima dos nossos números, da nossa análise, que a gente defende o colaborador e a empresa na hora do reajuste. Como a Provisa tem o controle de utilização de cada empresa, a gente questiona sempre com o intuito de baixar os preços. E nós temos conseguido. A gente consulta a nossa auditoria, analisa os procedimentos médicos. E no fim, o colaborador, a empresa e a operadora. ficam satisfeitos.

Janary Rodrigues: Quando nós administramos, o gestor consegue ver o raio-X da “população” interna dele.

Consegue ver por que teve um pico alto de utilização do plano de saúde, se foi covid ou outras patologias.

Consegue saber como está a saúde dos colaboradores. Inclusive para tomar medidas preventivas futuras.

É isso que pauta as nossas ações. Nesse período de pandemia, teve muita gente com depressão e com ansiedade.

Hoje, nosso trabalho com psicólogos é muito mais forte do que antes da pandemia, através do nosso Programa Prevmente.

Que conselhos vocês têm para os empresários nessa fase?

Janary Rodrigues: Atualmente o empresário percebeu uma coisa: o maior programa de auxílio e de saúde que ele pode oferecer aos colaboradores nesse momento é o plano de saúde.

Este sempre foi um assunto muito importante. Mas hoje, com a pandemia, ele se tornou imprescindível.

Francisco Alexandre: Minha dica é uma só: cuide do seu colaborador. Ele carrega o piano da sua empresa. Dê a ele o que tiver de melhor em saúde.

fonte: PIM AMAZONIA

Provisa Gestão de Saúde: Redes Sociais

Siga nossos perfis nas redes sociais. Estamos no InstagramfacebookLinkedIn e YouTube.


Asset-1-1.png
21/maio/2021

Na Provisa oferecemos os melhores recursos para o controle do seu plano de saúde, seguro de vida e plano odontológico para a sua família.

O seguro de vida prevê pagamento do capital segurado aos beneficiários em caso de morte do contratante, seguro de viagem, cobertura de despesas educacionais, quitação de dívidas dentre outras.

Existe um mix de proteções que vão muito além do que a indenização para a família.

Fale conosco e conheça nossos serviços!

Telefone: (92) 3584-5291

Email: provisa@provisa.com.br

Site: www.provisa.com.br

 

 

 


Plano-de-saúde-com-hospitais-ganha-mercado.jpg
02/ago/2019

Operadoras de planos verticalizadas como Hapvida e NotreDame Intermédica já levantaram no mercado R$ 16,2 bilhões

 

As operadoras de plano de saúde verticalizadas Hapvida e NotreDame Intermédica levantaram no mercado R$ 16,2 bilhões desde a oferta inicial de ações (IPO), ambas realizadas em abril de 2018. Nesse período, tanto Hapvida quanto Intermédica fizeram três captações com forte demanda de investidores e boa parte dos recursos levantados está sendo destinada a aquisições. Esse interesse do mercado financeiro pelas operadoras verticalizadas – há alguns anos consideradas o “patinho feio” do setor – ocorre porque o controle de custos tornou-se crucial nessa área.

A “inflação médica” é cerca de quatro vezes superior ao IPCA. Não à toa, operadoras sem rede própria de hospitais vêm tentando adotar novos modelos de remuneração.


Os primeiros reflexos desse cenário já começam a surgir. As seguradoras de saúde, que não podem ter rede própria, estão criando modalidades de planos com uma rede menor de prestadores de serviços, o que facilita o controle dos custos. Bradesco Saúde e SulAmérica lançaram modalidades de seguro saúde em que a maior parte dos hospitais, clínicas oncológicas e laboratórios de medicina diagnóstica credenciados pertence à Rede D’Or, dona de 45 hospitais.


Fonte: Valor Investe



SITE-1.png
18/jun/2018

Não adianta relutar contra um fato: o contrato vai vencer e o período de reajuste chegará e não há para onde correr – você vai pagar uma porcentagem a mais para ter o seu plano de saúde. Entretanto, existem algumas ações que você pode tomar ao longo do período de contrato que lhe ajudarão a conseguir preços justos tanto para sua empresa, quanto para a operadora. Confira às 5 dicas o melhorar o seu reajuste.

1. Incentive a prática de hábitos saudáveis entre os colaboradores

Ter mais qualidade de vida, por meio da mudança dos hábitos alimentares e da prática de exercícios físicos, traz como consequência o aumento da imunidade, produtividade e bem-estar.

Evitando que o colaborador adoeça com tanta frequência e sinta-se com mais disposição para as atividades do dia a dia.

2. Evite desperdícios nas utilizações

Você já soube de alguma situação em que o beneficiário do plano foi a uma consulta de emergência, que poderia ser eletiva, apenas para ser atendido de maneira mais rápida?

Atitudes como essa elevam o valor do sinistro da empresa, visto que as consultas de emergência são mais caras.

Além disso, aumentam o tempo de espera das pessoas que realmente precisam do serviço naquele momento.

É importante salientar que o colaborador não está proibido de utilizar o serviço de urgência/emergência,

mas que deve se utilizado apenas quando realmente for necessário.

Este é apenas um exemplo, existem outras dicas de utilização que podem ser acrescentadas durante realizações de campanhas de combate à sinistralidade,

a fim de fazer com que o colaborador compreenda quão importante é o seu papel na administração do plano de saúde.

E, por falar em utilização consciente, isto nos leva às próximas dicas para o melhor reajuste.

3. Incentive a realização do check-up

Manter os exames e consultas de rotina em dia, possibilita a prevenção ou tratamento de doenças graves ainda em seu estado inicial.

Evitando futuros custos maiores. E, ainda mais importante, contribui para a saúde do seu colaborador.

Em casos de doenças que exijam maiores cuidados, o incentivo deve ser sempre para a realização do tratamento completo.

Em tratamentos com antibióticos, por exemplo, se interrompidos antes do fim, os agentes responsáveis pela doença podem ficar mais fortes, dificultando a cura.

4. Monitore os indicadores

Você sabe quem e como estão utilizando o plano de saúde da empresa? Algumas informações a serem avaliadas no acompanhamento da sinistralidade:

  • Maiores usuários;
  • Relação por especialidade, sexo e titularidade;
  • Utilizações;
  • Acompanhamento de grávidas
  • Gráfico de sinistralidade geral;
  • Acompanhamento de atestados.

São dados importantes para traçar um planejamento de ações de saúde, a fim de reduzir a utilização de um procedimento específico. Durante a análise dos dados de sinistralidade, você pode verificar que as utilizações estão bem abaixo do porcentagem de utilização estimada, o que favorece a negociação no período de reajuste do plano. Para isso, é necessário ter um sistema de sinistralidade que analise essas métricas de maneira rápida e automatizada.

5. Confie em seus parceiros e fornecedores

A administração do benefício de saúde é um trabalho realizado a muitas mãos, que exigem um serviços competente da empresa, da corretora de saúde e da operadora que disponibiliza o benefício. Todos os envolvidos precisam estar alinhados com os processos administrativos e responsabilidades para fazer tudo no prazo correto.

Como você pode verificar, as dicas para reduzir o valor de reajuste do plano de saúde devem ser pensadas desde o início do contrato, só assim elas podem trazer resultados a longo prazo para a saúde financeira do contrato e para a saúde de seus colaboradores.

E aí, você gostou das dicas?

Provisa Gestão de Saúde: Redes Sociais

Siga nossos perfis nas redes sociais. Estamos no InstagramfacebookLinkedIn e YouTube.

2 idosos se sorrindo se abraçando com a mensagem escrita, Nosso compromisso é cuidar da sua vida. Provisa Gestão de Saúde

analise-qualitativa-investidor.jpg
27/abr/2018

A disponibilização de um plano de saúde empresarial é um benefício do qual muitos empregadores não abrem mão. Afinal, essa é a garantia de que seus funcionários terão os meios necessários para contar com um bom atendimento médico sempre que precisarem.

No entanto, o custo desse plano de saúde tem aumentado significativamente para as empresas, levando algumas delas a cancelar o benefício. Isso se deve, em grande medida, ao aumento do índice de sinistralidade.

Mas você sabe o que é sinistralidade e se é possível reduzi-la? Então, continue lendo nosso post de hoje para entender um pouco mais sobre o assunto. Vem com a gente!

O que é a sinistralidade

Cada vez que o segurado aciona o plano de saúde, seja para a realização de uma consulta, de um exame ou de um procedimento cirúrgico, verifica-se a ocorrência de um sinistro. Cada sinistro representa um custo, que pode ou não ser elevado.

Nesse sentido, a sinistralidade é obtida pela relação entre os custos arcados com os sinistros e o prêmio, que são as receitas percebidas pela operadora do plano de saúde. Chega-se, assim, a um percentual:

Sinistralidade = sinistro = %

prêmio

A operadora do plano de saúde determina o percentual que considera aceitável, ou seja, que entende que o número de sinistros está dentro do esperado.

Se o percentual obtido for acima do estipulado pela operadora, isso significa que os custos para a manutenção do plano de saúde estão extrapolando a sua receita. Dessa forma, torna-se necessária a elevação dos valores pagos pela empresa.

Como reduzir a sinistralidade nas empresas

A partir da relação sinistro/prêmio demonstrada anteriormente, podemos concluir que a redução da sinistralidade requer a diminuição de sinistros. Para isso acontecer, a empresa pode adotar algumas medidas. Conheça-as a seguir!

Estimular a adoção de medidas preventivas

Não são poucas as pessoas que deixam para ir ao médico apenas quando já estão muito doentes e, por isso, necessitam de tratamentos mais complexos e caros.

Por isso, antecipe-se aos seus funcionários e estimule a ida regular ao médico e o check-up com exames preventivos. Ainda que isso gere um custo constante, ele será bem menor do que o gasto com tratamentos.

Além desse incentivo individual, você pode dividir os funcionários por grupos de enfermidade ou de risco à saúde, como o de hipertensos ou o de diabéticos, para criar uma rotina de acompanhamento dessas pessoas.

Além disso, a empresa pode reproduzir as campanhas públicas de saúde para valorizá-las, como as campanhas de vacinação, de combate ao tabagismo e à obesidade e de incentivo ao uso de camisinha.

Estimular hábitos saudáveis de vida

Prevenir problemas de saúde é sempre a melhor forma de reduzir a sinistralidade do plano de saúde. Para isso, é fundamental que a empresa estimule hábitos de vida saudáveis. Isso inclui a prática de atividade física e a boa alimentação.

Então, se sua empresa tem um refeitório, ofereça pratos saudáveis. Conta apenas com parcerias com restaurantes? Dê preferência àqueles que oferecem um cardápio saudável e variado.

Outra medida interessante é oferecer a ginástica laboral no ambiente de trabalho. Além de despertar o interesse pelos exercícios, essa é uma boa forma de prevenir contra lesões por esforços repetitivos e de combater a má postura e o sedentarismo.

Quando aliadas a consultas médicas regulares, essas medidas não apenas reduzem a sinistralidade, mas também proporcionam colaboradores mais saudáveis e bem dispostos.

Orientar sobre o uso do plano de saúde

A empresa pode promover palestras e distribuir panfletos para informar os funcionários sobre a importância do uso consciente das coberturas do plano. Cabe alertá-los de que as consultas e os exames devem ser realizados como forma de prevenção e em caso de necessidade.

Uma forma bem interessante de estimular isso é oferecer o plano de saúde com coparticipação, em que os empregados contribuem com uma parcela quando usam alguma cobertura. Isso tende a conscientizá-los sobre o seu uso racional.

Como vimos, é possível sim reduzir a sinistralidade do plano de saúde. E o melhor é que são medidas que só tendem a melhorar a saúde dos seus funcionários.

Gostou do conteúdo? Então, aproveite para assinar nossa newsletter e aprender ainda mais sobre qualidade de vida e bem-estar na sua empresa!


melhor-corretora-2017-provisa.jpg
27/nov/2017

 

Na última quinta-feira, 23, ocorreu o VII Fórum Manaus Seguros, organizado pelo Sindicato dos Corretores de Seguros (SINCOR). Junto ao congresso, também foi realizado o XII Troféu Vitória Régia, que premia os melhores do mercado de seguros competindo a nível Amazonas e Roraima.  Pela 5ª vez, a Provisa levou mais um troféu para sua estante de prêmios, na categoria de melhor corretora no segmento saúde.

Para o time da Provisa, é muito importante receber este reconhecimento, fruto do aperfeiçoamento constante de processos, trabalho em equipe e dedicação aos clientes. Mais do que mais um prêmio na estante, este troféu simboliza um ano de entrega de resultados a quem confiou no trabalho da Provisa e cooperou para que ele se tornasse realidade.

Por isso, este troféu é dedicado aos clientes, parceiros e à toda equipe. Obrigado por permitir que façamos parte da sua história e por fazer parte da nossa. Desejamos que mais datas e reconhecimentos como estes aconteçam.

 


Provisa Seguros

Provisa Tower

92 3594-1400 | 98412-3400

Av. Jacira Reis, 1029 – Conj. Kissia, Dom Pedro I.

69040-270 – Manaus, AM

Facebook | Instagram


 

 

 


Logo Provisa Branca

ENDEREÇO

Rua Jacira Reis, 1019 – Conj. Kissia – Dom Pedro
Manaus – AM, 69040-270

Torre Norte, Av. das Nações Unidas, 12901 – Brooklin Paulista
São Paulo, 04578-910

Rua Dr. João Colin, n°1285 – América
Joinville – SC, 89204-001

CONTATO

(92) 3584-5291

(47) 3305-9754

provisa@provisa.com.br

Copyright 2021. All rights reserved.